Fitocanabinoides da cannabis: THC

Tempo de leitura: 2 min

Publicado em

O THC é um dos fitocanabinoides mais importantes da cannabis e, ao mesmo tempo, o que é mais mal visto (mesmo que erroneamente); entenda um pouco mais sobre ele e seus benefícios

Será que o THC só “chapa” mesmo? Estudos científicos mostram o contrário.

O potencial medicinal, terapêutico e psicotrópico da cannabis é consequência dos princípios ativos que a compõem. Há terpenos, canaflavinas e fitocanabinoides na planta, sendo os fitocanabinoides as propriedades mais conhecidas e disseminadas desses grupos. Existem mais de 100 fitocanabinoides encontrados na maconha e, até hoje, a quantidade correta ainda é pesquisada. São dois deles, no entanto, que lideram os estudos a respeito da planta: o THC e o CBD. Um tratado como vilão e o outro milagroso, ainda que erroneamente, mas muitos outros fitocanabinoides também oferecem benefícios medicinais. Por isso, a Kaya Mind publicará uma série de textos sobre alguns dos fitocanabinoides da cannabis. Neste material, será explorado o famoso tetrahidrocanabinol (THC). 

O que é o THC

thc

Descoberto e isolado pela primeira vez pelo químico israelense Raphael Mechoulam, em 1963, o THC é o fitocanabinoide relacionado aos efeitos psicotrópicos da cannabis. Este, no entanto, não tem só a função de “chapar”, mas, também, de oferecer propriedades medicinais importantes ao organismo. Ao ser consumido, principalmente em conjunto com os outros princípios ativos da cannabis (outros fitocanabinoides, terpenos e canaflavinas), ele ativa os receptores canabinoides CB1 e CB2, parte do sistema endocanabinoide, mecanismo que é responsável por manter o equilíbrio corporal interno. 

O THC pode ajudar no tratamento do glaucoma, evitar inflamações, aumentar o apetite, reduzir a dor e mais. Além disso, pode tratar e controlar algumas condições médicas como o Transtorno do Espectro AutistacâncerAlzheimer, epilepsia, esclerose múltipla e outras. São diversos estudos científicos que apontam sua eficácia em relação à diversas doenças.

O THC e o proibicionismo

Ainda assim, esse fitocanabinoide é visto com maus olhos pela sociedade e, inclusive, é a principal causa do preconceito contra a maconha e o proibicionismo contra a planta. Ele é unicamente associado aos seus efeitos psicotrópicos e a diferentes mitos, como ser responsável por matar neurônios, e, por isso, muitas regulamentações ainda excluem a venda de produtos que o contém. 

No Brasil, curiosamente, o primeiro medicamento à base de cannabis que passou a ser comercializado legalmente nas farmácias do país foi o Mevatyl (internacionalmente conhecido como Sativex), spray nasal que tem uma dose relevante de THC e é voltado para pacientes com esclerose múltipla. Hoje, ele ainda é o único dos produtos disponíveis nas farmácias que contém THC, mas é possível importar outras alternativas do exterior a partir do cadastro na Anvisa. 

Na última semana, o fitocanabinoide abordado foi o CBD. Já, nas próximas, será possível acompanhar o lançamento de outros textos que contemplem outros princípios ativos da cannabis. São eles:

Para entender melhor sobre o mercado da cannabis para uso medicinal no Brasil, onde há um maior detalhamento sobre o funcionamento da planta no organismo humano, acesse o relatório da Kaya Mind “Cannabis Medicinal” e faça o download gratuito. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Não perca nossos conteúdos!

Se inscrevendo em nossa newsletter você fica sabendo de todas as novidades que rolam por aqui e recebe nossos relatórios e promoções em primeira mão!