Cannabis e sono: benefícios e riscos de dormir chapado

Tempo de leitura: 5 minutos

A cannabis é amplamente utilizada para tratar distúrbios do sono, como a insônia, mas há também consequências desse uso, principalmente quando é realizado de forma recreativa e sem acompanhamento profissional  

Muitas pessoas que usam cannabis de forma recreativa acabam por associar o consumo com melhores noites de sono e, dessa forma, incluem esse hábito na rotina antes de dormir. De fato, a maconha tem um vínculo positivo e estreito com o sono, tanto que muitos dos tratamentos medicinais à base da planta são voltados para a insônia e outros distúrbios relacionados, mas pouco se discute sobre o fato de que ela também pode contribuir para uma noite mal dormida.  

A verdade é que, assim como qualquer substância medicamentosa, a cannabis, se utilizada para melhorar o sono, deve ser administrada de acordo com o perfil do paciente ou usuário, além de ser necessário considerar a dosagem adequada, a quantidade e concentração dos fitocanabinoides, a via de administração e outras especificidades. Caso contrário, existem alguns riscos.  

 

Como a cannabis pode melhorar o sono 

Os primeiros estudos sobre cannabis e sono datam de 1970 e trouxeram resultados negativos e positivos. Evidenciou-se que a planta tinha potencial de diminuir a latência do sono, isto é, o período em que se fecha os olhos e efetivamente começa a dormir – em um indivíduo comum, esse tempo varia de 10 a 30 minutos –, além de reduzir o despertar após o início do sono. Ainda, é capaz de aumentar o sono de ondas lentas. 

Esses benefícios são principalmente relacionados aos fitocanabinoides da cannabis, em especial ao CBD e THC, que são mais conhecidos e estudados. Quando ingeridos, o THC interage com o receptor canabinoide CB1 e o CBD com o CB2 – cada um desses receptores atua em diferentes regiões do organismo, fazendo parte do sistema endocanabinoide.  

“Os canabinoides e endocanabinoides são muito importantes para a regulação do ciclo do sono vigília, assim como são importantes para outras funções associadas como alimentação, formação de memórias etc.”

explica Sidarta Ribeiro em entrevista à Kaya Mind.

O THC é popular seus efeitos psicotrópicos, mas também é utilizado como sedativo, além de poder melhorar a respiração durante o sono, tratando apneia, e atenuar dores, auxiliando pessoas com esses sintomas a dormirem melhor. Já o CBD também tem uma função sedativa importante, bem como aumenta o tempo de sono e diminui a frequência de mudanças bruscas dos estágios de sono – de um sono pesado para leve ou para o estado de despertar, por exemplo.  

Além desses dois fitocanabinoides, o CBN vem sendo amplamente estudado sobre seus efeitos sedativos; pesquisas apontam que seu potencial de induzir o sono é até maior do que do THC e do CBD. Os terpenos, outros elementos presentes na planta da cannabis, também podem ser benéficos para o sono.  

O consumo de cannabis durante à noite pode ser especialmente vantajosa para pessoas que sofrem com algumas condições médicas, como dores crônicas, esclerose múltipla, estresse pós-traumático, insônia, ansiedade e mais.  

 

Os riscos de induzir sono com cannabis  

Por outro lado, as pesquisas científicas também apresentaram que o uso crônico da cannabis pode causar uma associação direta entre esse consumo e a indução do sono, tornando o usuário dependente da planta para dormir. A planta também pode ser um risco para a qualidade do sono, pois os usuários podem acabar desenvolvendo uma espécie de tolerância aos seus efeitos, sendo necessário, cada vez mais, aumentar a dosagem e frequência de uso. Ainda, como ela diminui o sono REM, causa outros distúrbios que ficam mais evidentes no momento de abstinência do uso, levando a uma recidiva e, então, um ciclo vicioso.  

Um dos sintomas da retirada da cannabis para dormir é a frequência de interrompimento do sono, além de aumentar os sonhos vívidos e até pesadelos, o que é costuma ser incomodo para os usuários que estão passando por esse momento. Dessa forma, muitos acabam voltando a consumir a planta.  

Já o uso crônico de cannabis para dormir pode ser maléfico porque, com a diminuição do sono REM, não há um período restaurador da saúde mental durante o sono. Afinal, os sonhos acontecem no sono REM e eles são essenciais para a criatividade, a habilidade de resolução de problemas e para reduzir os sentimentos dolorosos de episódios traumáticos que aconteceram durante o dia. Ainda, o sono REM é um dos responsáveis por diminuir um dos hormônios que desencadeiam a ansiedade, chamado de noradrenalina, além de auxiliar no desenvolvimento de memória espacial.  

Em resumo, a longo prazo, a maconha é capaz de diminuir o tempo de sono, aumentar o tempo que leva para dormir e aumentar os interrompimentos do sono durante à noite.  

Cannabis e Sono benefícios e riscos

Melhores práticas para dormir com cannabis  

Como dito anteriormente, os efeitos positivos e negativos do uso de cannabis para indução do sono dependem do perfil do paciente, dosagem do produto, qualidade da planta, fitocanabinoides presentes, via de administração etc. Os estudos mostraram, por exemplo, que uma concentração baixa de CBD pode levar a um despertar, enquanto a alta é sedativa. Em contrapartida, quanto maior a concentração de THC, maior a sensação de euforia – é preciso consumir uma dose baixa desse fitocanabinoide para sentir a sonolência. Por isso, tente usar um produto que tenha alta concentração de CBD e baixa de THC.  

As pesquisas também apontaram que os usuários diurnos reportam mais distúrbios do sono do que usuários eventuais ou que não usam cannabis. Ao mesmo tempo, aqueles que usam cannabis durante a noite têm menos questões com o sono do que os usuários diurnos e não-usuários. Foque, portanto, no consumo noturno da planta.  

Para além dessas dicas, é extremamente importante consultar um profissional da saúde caso você queira tratar seus distúrbios do sono à base de cannabis. Mesmo se você for usuário recreativo, também é essencial procurar um médico se você sente uma relação de dependência com a planta para dormir ou se suas noites são mal dormidas e você sente as consequências desse fato no dia seguinte.   

 

Cadastre-se em nossa newsletter!

    Compartilhe essa informação!

    primeiro animal a ser tratado com cannabis

    Primeiro animal a ser tratado com cannabis

    O uso veterinário da cannabis tem se tornado uma pauta importante no meio canábico e na indústria pet, mas, na verdade, os animais de estimação já são tratados à base da planta há centenas de anos; conheça o histórico

    Leia Mais!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Contato

      Deixe um comentário

      O seu endereço de e-mail não será publicado.