O que são endocanabinoides?

Tempo de leitura: 2 min

Publicado em

O corpo humano produz endocanabinoides, moléculas que interagem com o sistema endocanabinoide, mecanismo que explica o funcionamento da maconha no corpo humano.

O funcionamento da maconha no corpo está diretamente associado ao sistema endocanabinoide, que mantém o equilíbrio do organismo, isto é, a homeostase. Assim como outros sistemas existentes no corpo humano, todo indivíduo nasce com esse mecanismo, independentemente de ter tido contato com a cannabis.

Sistema Nervoso Endocanabinóide
Sistema Nervoso Endocanabinóide

O sistema endocanabinoide, como diz seu próprio nome, opera a partir de endocanabinoides, conhecidos também como canabinoides endógenos, moléculas que ativam receptores canabinoides, transmitindo as informações necessárias para o resto do organismo. Essas moléculas, coincidentemente, também existem na planta da cannabis e são chamadas de fitocanabinoides, por isso, quando entram no corpo, agem de forma similar aos endocanabinoides.

Os canabinoides endógenos são produzidos em situações de estresse, ansiedadedor e fome, bem como durante o exercício físico, ao dançar e cantar. Assim, ao se conectarem com os receptores, regulam essas sensações. Porém, diferente de outros neurotransmissores, os endocanabinoides não são armazenados nas células nervosas. Eles estão presentes nas moléculas de gordura da membrana celular e são liberados quando solicitados, ou seja, quando os receptores dos endocanabinoides são ativados.
Igualmente, a maconha também pode influenciar os receptores e gerar benefícios importantes diante da maioria desses sentimentos e dessas situações. Não é por menos que o uso de seus fitocanabinoides, como o CBD ou THC, seja recomendado para doenças como Parkinsoncâncer, epilepsia e outras condições.

ANA e 2-AG, os dois principais endocanabinoides

Até o momento, pesquisadores identificaram dois endocanabinoides principais: anandamida (ANA) e 2-araquidonoilglicerol (2-AG). A anandamida, conhecida como a substância da felicidade, é um neurotransmissor produzido pelo corpo, assim como a serotonina, endorfina e dopamina. Já o 2-araquidonoilglicerol é um éster (composto orgânico oxigenado) formado por um dos ácidos graxos essenciais do ômega 6 e glicerol (composto orgânico da função álcool).

canabinóides
Tricomas onde são encontrados os canabinóides

Ambos são agonistas, ou seja, capazes de se ligar a receptores e ativá-los, mas cada um tem funções diferentes em relação aos dois receptores canabinoides mais estudados, chamados de CB1 e CB2. Enquanto o CB1 é mais presente no sistema nervoso central, o CB2 se localiza, em sua maior parte, nas células do sistema imunológico.

O 2-AG é um agonista completo quando se trata dos dois receptores, mas é a principal molécula de conexão do CB2 e, portanto, desempenha o papel de regular o sistema imunológico e gerenciar dor. Ainda assim, esse endocanabinoide é o menos estudado entre os dois. Já a ANA, mesmo que tenha eficácia menor com os receptores e seja agonista parcial deles, mostrou uma maior compatibilidade com o CB1. Por ser sintetizada no sistema nervoso central, ela é importante para a memória, motivação e controle de movimentos, além de ter uma função significativa em relação à fertilidade, ansiedade, dor e apetite.

Tanto a anandamida como o 2-araquidonoilglicerol têm outras responsabilidades no corpo humano ao colocar o sistema endocanabinoide para funcionar. No entanto, muitas ainda não foram descobertas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Não perca nossos conteúdos!

Se inscrevendo em nossa newsletter você fica sabendo de todas as novidades que rolam por aqui e recebe nossos relatórios e promoções em primeira mão!