Fitocanabinoides da cannabis: CBG

Tempo de leitura: 2 min

Publicado em

Mesmo que seja encontrado em quantidades baixas na cannabis, o CBG é enxergado como um fitocanabinoide de grande potencial medicinal pela comunidade científica

O potencial medicinal, terapêutico e psicotrópico da cannabis é consequência dos princípios ativos que a compõem. Há terpenos, canaflavinas e fitocanabinoides na planta, sendo os fitocanabinoides as propriedades mais conhecidas e disseminadas desses grupos. Existem mais de 100 fitocanabinoides encontrados na maconha e, até hoje, a quantidade correta ainda é pesquisada. São dois deles, no entanto, que lideram os estudos a respeito da planta: o THC e o CBD. Um tratado como vilão e o outro milagroso, ainda que erroneamente, mas muitos outros fitocanabinoides também oferecem benefícios medicinais. Por isso, a Kaya Mind publicará uma série de textos sobre alguns dos fitocanabinoides da cannabis. Neste material, será explorado um fitocanabinoide que tem muito potencial terapêutico: o CBG.

O canabigerol ou CBG é encontrado em níveis abaixo de 1% nas plantas da cannabis, ou seja, em concentrações muito baixas. Isso acontece, pois o CBGA é transformado em THCA e CBDA e, estes, ao entrarem em contato com o calor e a luz ultravioleta, se transformam em THC e CBD. No final desse processo, a planta fica com um restante de CBGA, que pode ser descarboxilado em CBG. 

Ainda que a quantidade desse fitocanabinoide seja baixa, muitos pesquisadores já procuram formas de aumentá-la devido ao seu grande potencial medicinal e terapêutico. É possível fazê-lo ao extrair quantidades maiores dessa propriedade a partir de manipulação genética ou um cruzamento com outras cepas da planta ou uma colheita precoce – quanto mais “verde” a planta, mais rica ela é em CBG.

Mesmo que o CBG seja pouco conhecido, as pesquisas existentes têm mostrado resultados positivos no que diz respeito aos seus efeitos farmacológicos, que são: anti-inflamatório, antifúngico, neuroprotetor, analgésico, estimulação de apetite, bloqueio de receptores de células cancerígenas, favorece o tratamento de glaucoma e mais. 

Por ter propriedades terapêuticas similares ao THC, mas não causar efeitos psicotrópicos, o CBG tem sido visto como uma boa opção de tratamento para pacientes que não respondem bem ao “chapar” causado pelo THC. Muitas pessoas têm dificuldade de administrar a dose de THC para não “chapar” ou ansiedade ao ter essa sensação e, por isso, o CBG pode ser um uso interessante. Alguns estudos indicam que esse fitocanabinoide, inclusive, parece causar resultados melhores em relação a algumas necessidades terapêuticas, como o fato de ser mais sedativo que o THC.

Na última semana, o fitocanabinoide abordado foi o CBN. Nas próximas, será possível acompanhar o lançamento de outros textos que contemplem outros princípios ativos da cannabis.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Não perca nossos conteúdos!

Se inscrevendo em nossa newsletter você fica sabendo de todas as novidades que rolam por aqui e recebe nossos relatórios e promoções em primeira mão!