Cannabis e câncer: qual a relação?

A atuação da cannabis no sistema endocanabinoide pode auxiliar na manutenção de diversas funções corporais, inclusive agir contra doenças. O câncer é uma delas que pode ser tratada pelo uso medicinal da maconha; entenda

 

Desde que o químico israelense Raphael Mechoulam começou a realizar pesquisas científicas que contribuíram com a identificação do sistema endocanabinoide, a cannabis passou a ser considerada uma substância com potenciais medicinais extremamente relevantes. Estudos sobre o assunto começaram a borbulhar entre a comunidade científica e, hoje, existem inúmeros que discutem e até provam a eficácia das propriedades terapêuticas da cannabis em relação a diversas condições médicas, como câncer, Parkinson, Alzheimer, depressão, glaucoma e mais. Nesta série sobre a cannabis para fins medicinais, a Kaya Mind explorará seu papel no tratamento de algumas doenças específicas, sendo, neste texto, a relação entre cannabis e câncer como tema principal.

Segundo o INCA (Instituto Nacional de Câncer), entre 2020 e 2022, o Brasil teria 625 mil novos casos de câncer a cada ano. Essa condição médica, por menor que seja sua prevalência em comparação com outras que acometem brasileiros, tem alta mortalidade, pois não há uma cura específica apesar de existir uma variedade de opções de tratamento. A cannabis, no entanto, tem se mostrado promissora em atenuar sintomas do câncer e efeitos colaterais de medicamentos usados para tratar a doença, bem como em diminuir as células cancerígenas. 

 

Cannabis e câncer: os possíveis tratamentos

cannabis e câncer tratamento CBDUm dos tratamentos mais conhecidos do câncer é a quimioterapia, que pode causar diversos efeitos colaterais como enjoo, falta de apetite e dores no corpo. O próprio câncer também pode acarretar esses sintomas, além da ansiedade, depressão e insônia que surgem com o diagnóstico de uma doença grave e a preocupação do que pode vir a acontecer no futuro. Todas essas consequências, no entanto, já são conhecidas por serem possivelmente tratadas com a maconha. 

O CBD é capaz de combater dores, melhorar o sono, controlar náuseas e diminuir a ansiedade, enquanto o THC é um estimulante de apetite importante, além de auxiliar na depressão. O uso de ambos os fitocanabinoides encontrados na cannabis, portanto, poderia ser útil para quem sofre com câncer. 

Estudos mais recentes publicados pelo Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos apontam que os fitocanabinoides podem também matar células cancerígenas e proteger as normais, o que acaba por diminuir o tumor. Em 2014, contudo, já se falava na possibilidade das propriedades da cannabis em combater cânceres cerebrais agressivos. 

 

Vale dizer que as pesquisas ainda são inconclusivas e que os tratamentos do câncer a partir da cannabis também são acompanhados das terapias mais tradicionais, como a quimioterapia e a radioterapia. Ainda, é importante ter em mente que é preciso consultar um profissional da saúde antes de seguir com qualquer tipo de tratamento medicamentoso, até porque cada organismo tem uma tolerância e resposta diferente à cannabis.

Em continuação aos textos da série de cannabis para fins medicinais, as próximas condições médicas a serem exploradas serão:

  • Cannabis e Parkinson
  • Cannabis e Alzheimer
  • Cannabis e depressão
  • Cannabis e glaucoma

Cadastre-se em nossa newsletter!

    Compartilhe essa informação!

    primeiro animal a ser tratado com cannabis

    Primeiro animal a ser tratado com cannabis

    O uso veterinário da cannabis tem se tornado uma pauta importante no meio canábico e na indústria pet, mas, na verdade, os animais de estimação já são tratados à base da planta há centenas de anos; conheça o histórico

    Leia Mais!

    Contato

      Deixe um comentário

      O seu endereço de e-mail não será publicado.