Haxixe Afegão: tradição e cultura cannábica no Afeganistão

Tempo de leitura: 4 min

Publicado em

Saiba mais sobre como um dos maiores produtores de haxixe do mundo, o Afeganistão, produz uma resina de alta qualidade, adorada por todo o mundo

Quando exploramos mais sobre o universo da cannabis, vemos que ele é vasto e repleto de variedades, cada uma com sua história única e características distintas, porém muitas seguem o caminho da origem do produto, esse é o caso do haxixe afegão, um tradicional produto oriundo do Afeganistão. Entre as diversas formas de consumo, o haxixe afegão destaca-se como uma joia da tradição canábica, que ao longo dos anos vêm conquistando admiradores ao redor do mundo.

Neste artigo, exploraremos mais sobre o haxixe afegão, compreendendo sua origem, história e o processo intricado de sua produção.

O Que é o Haxixe Afegão

O haxixe afegão é uma forma de concentrado de cannabis que se destaca pela sua rica quantidade de canabinoides e qualidade excepcional. Produzido a partir dos tricomas das flores de cannabis, assim como outros tipos, o haxixe é uma substância altamente concentrada em THC, o componente psicoativo da planta.

No Afeganistão, esse tipo de haxixe ganhou renome mundial devido à sua produção manual, sem a utilização de solventes, conferindo-lhe características únicas, como sua cor que se tornou um símbolo em todo o mundo. Diferente do que muitos podem acreditar, é no Afeganistão que são produzidos alguns dos maiores volumes de haxixe do mundo.

Em 2010 a UNODC (United Nations Office on Drugs and Crime), a agência da ONU que acompanha as drogas, publicou um relatório sobre a produção de haxixe no Afeganistão e descobriu que é lá que existem os melhores rendimentos de haxixe por plantação. Enquanto no Marrocos, por exemplo, se extrai em torno de 40 quilos de haxixe por hectare de plantação, no Afeganistão a média é de 145 quilos por hectare, o que o torna um dos maiores produtores do mundo.

A História do Haxixe no Afeganistão

haxixe afegão produção
Fonte: DVIDS

A história do haxixe no Afeganistão está entrelaçada com a cultura e as tradições milenares desse país montanhoso. Enquanto a cannabis é cultivada há séculos na Ásia para diversos fins, incluindo alimentação, óleo e fibra, o cultivo para fins psicoativos encontrou seu espaço no Afeganistão e outros países da região. A região, que faz fronteira com a Índia e o Nepal, é considerada por muitos como o possível berço da cannabis, e sua conexão com o haxixe é profunda, entrelaçada com grupos religiosos e práticas sagradas que envolviam o uso de maconha.

Apesar de a cannabis ter sido tornada ilegal em 1957, o uso do haxixe nunca perdeu sua popularidade no Afeganistão. Ao contrário de muitos lugares, o consumo de haxixe é culturalmente aceito em todas as classes sociais, criando uma atmosfera única onde o julgamento e a marginalização não se associam ao seu uso.

Durante as décadas de 60 e 70, a fama do haxixe afegão atraiu hippies e viajantes aficionados pela cannabis ao país. Atualmente, de acordo com a UNODC, o Afeganistão é reconhecido como um dos maiores produtores de haxixe do mundo, uma posição consolidada ao longo dos anos. É estimado que o país produza cerca de 1.500 e 3.500 toneladas de haxixe por ano que são voltados para a exportação em sua grande maioria.

Como o Haxixe Afegão é Feito

haxixe afegão cultura
Cannabis farmers in Baharak, Badakshan. Fonte: Afghanistan Analysts Network

A produção do haxixe afegão é um processo que honra a tradição e a manualidade. Assim como o haxixe marroquino, o afegão é extraído sem a utilização de solventes, porém com o uso de malhas que servirão como peneiras para coletar apenas os tricomas, que são o que interessa na hora de se produzir o haxixe. A produção inicia-se com a colheita da cannabis que depois precisa passar por um processo de secagem e cura. Após esse processo, as flores e folhas são quebradas (podem ser dixavadas ou apenas quebradas com a mão mesmo) e peneiradas para produzir a “garda”, um pó rico em tricomas. A primeira camada de resina obtida é a de melhor qualidade.

A partir da “garda”, o haxixe afegão é moldado manualmente, muitas vezes prensado com as mãos, com a adição de uma pequena quantidade de chá ou água para ajustar a consistência. Este processo é laborioso, demandando tempo e habilidade, mas resulta em uma resina de qualidade excepcional. O haxixe final apresenta uma textura elástica e um aroma extremamente pronunciado.

Para concluirmos, o haxixe afegão representa não apenas uma forma de consumo de cannabis, mas uma tradição enraizada na história do Afeganistão. Seu processo manual, a qualidade das genéticas locais e a longa história cultural associada a esse produto fazem dele uma verdadeira obra-prima da cannabis.

Ao explorar o mundo do haxixe afegão, somos transportados para as montanhas e vales do Afeganistão, onde a cannabis cresce há séculos. A história tumultuada do país e sua resistência a várias influências externas se refletem na persistência da produção de haxixe, uma prática que resistiu ao tempo e às adversidades.

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Maria Riscala

Temple Ball: aprenda tudo sobre esse tipo de haxixe

Explore o mundo fascinante das Temple Balls: de sua rica história, ligada ao lendário Frenchy Cannoli, até dicas práticas de uso e aplicação medicinal. Descubra como esta antiga arte pode enriquecer sua experiência com cannabis.

Leia mais

Não perca nossos conteúdos!

Se inscrevendo em nossa newsletter você fica sabendo de todas as novidades que rolam por aqui e recebe nossos relatórios e promoções em primeira mão!

    0
    Nós adoraríamos saber sua opinião, deixe seu comentário!x