Investimentos Canábicos: saiba como investir em cannabis

Rentáveis e voláteis, os investimentos em cannabis atraem olhares ao redor do mundo à medida que novas regulamentações e pesquisas surgem

Depois de anos de ilegalidade e preconceito, a cannabis, hoje, é considerada uma alternativa aos tratamentos médicos comuns para diversas condições, à produção de matérias-primas prejudiciais ao meio ambiente e até à diminuição da violência e segregação social presentes na sociedade. Com a sua regulamentação baseada em todas essas vantagens, o mercado financeiro enxergou na planta uma nova oportunidade de investimento, o que atraiu muitos olhares e por isso viemos mostrar para vocês como investir em cannabis aqui no Brasil.

Grandes empresas da indústria da maconha, por exemplo, foram incluídas em bolsas de valores de renome, como a Bolsa de Nova York e a Nasdaq. Surgiram, também, os fundos de investimento voltados para esse tema, sendo alguns deles ETFs (Exchange Traded Funds ou fundos de índices), aplicações que, atualmente, fazem sucesso por investir em diferentes ações em cannabis e trazer diversificação à carteira. 

No Brasil, inclusive, essa movimentação no mercado financeiro também aconteceu, ainda que a planta não seja legalizada. Existem por volta de quatro tipos diferentes de ativos no país, a partir dos quais é possível investir em cannabis na bolsa por alguns acompanharem ETFs. É claro, no entanto, que as opções são mais limitadas do que internacionalmente, onde há uma variedade enorme.

Para investir em cannabis, não é necessário ser um grande investidor. Em território brasileiro, há possibilidades para pessoas que não podem fazer um aporte inicial volumoso, como o mais recente lançamento do BTG Pactual, chamado de Cannabis Ativo FIM, e o Trend Cannabis FIM, da XP Investimentos. Ambos requerem um investimento inicial de R$ 100. Os outros fundos de investimento mais ambiciosos são as duas versões do Fundo Vitreo Canabidiol.

Contudo, é importante ter em mente que os fundos são de longo prazo e fazem parte de um mercado volátil, sendo de alto risco. Apesar disso, têm uma rentabilidade significativa por terem se valorizado muito ao longo dos últimos anos. A consultoria Grand View Research estimou que, em 2020, a indústria legal da maconha faturou US$ 24,6 bilhões, e a expectativa é de um crescimento ainda maior nos próximos períodos

O relatório “Impacto Econômico da Cannabis” também mostra o potencial do Brasil em relação à legalização da planta em três níveis (medicinal, industrial e uso adulto): o mercado total poderia movimentar R$ 26 bilhões no quarto ano de regulamentação. Se, hoje, em um cenário em que as leis ainda estão atrasadas em relação aos usos da maconha no país, já há opções de investimento, quando ocorrer a legalização a promessa é de que as oportunidades se ampliem ainda mais.

Cadastre-se em nossa newsletter!

    Compartilhe essa informação!

    primeiro animal a ser tratado com cannabis

    Primeiro animal a ser tratado com cannabis

    O uso veterinário da cannabis tem se tornado uma pauta importante no meio canábico e na indústria pet, mas, na verdade, os animais de estimação já são tratados à base da planta há centenas de anos; conheça o histórico

    Leia Mais!

    Deixe um comentário

    O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Contato