Distimia: o que é, principais sintomas e tratamentos alternativos

Tempo de leitura: 3 min

Publicado em

A distimia é uma das formas de manifestação de sintomas depressivos que prejudica a qualidade de vida dos pacientes que lidam com a condição

Os sintomas da depressão podem se manifestar de diferentes formas, ou seja, apresentam intensidade, duração e gravidade de sintomas que variam e os enquadram em diferentes categorias. Dentre elas, a distimia é caracterizada por seu curso persistente e particularidades específicas. Nesse texto, vamos compreender o funcionamento da Distimia, seu tratamento, e se a cannabis pode colaborar com o manejo dos sintomas.

O que é a distimia?

Conforme o DSM-5 (Manual de Diagnóstico e Estatística dos Transtornos Mentais, 5ª edição), uma das principais referências sobre transtornos mentais atualmente disponível, a distimia é caracterizada por um estado de humor deprimido persistente na maior parte do dia, quase todos os dias, por pelo menos 2 anos. Para confirmar o diagnóstico, o indivíduo deve manifestar, além disso, pelo menos dois dos seguintes critérios:

Distimia
  • Mudanças no apetite, seja uma diminuição significativa ou um aumento descontrolado na alimentação;
  • Dificuldades com o padrão de sono, como insônia frequente ou excesso de sono;
  • Sensação constante de fadiga ou falta de energia;
  • Baixa autoestima;
  • Dificuldade em manter o foco ou tomar decisões;
  • Sentimentos de desesperança.

É crucial ressaltar que, para o diagnóstico de distimia, esses sintomas devem persistir ao longo dos dois anos, sem um período de mais de dois meses sem sua presença. Além disso, não pode haver histórico de episódios maníacos ou hipomaníacos (característicos de transtornos como bipolaridade ou ciclotimia). Outros transtornos, como esquizoafetivo, esquizofrenia ou transtorno delirante, também precisam ser descartados.

Em crianças e adolescentes, o diagnóstico pode ser feito após um ano de sintomas persistentes. Nestes casos, a irritabilidade pode ser mais comum do que o humor deprimido.

Embora seja considerada uma condição menos grave por alguns especialistas, a distimia causa comprometimento da qualidade de vida de quem a enfrenta e deve ser tratada.

Como funciona o tratamento da distimia?

O tratamento considerado padrão-ouro para o manejo dos sintomas dessa condição envolve a combinação entre psicofármacos e psicoterapia.

A Terapia Cognitivo-Comportamental (TCC) é uma abordagem psicoterápica que ajuda os indivíduos a identificar e modificar padrões de pensamento distorcidos e comportamentos disfuncionais. Isso pode ajudar a mudar a percepção do paciente sobre si mesmo e o mundo ao seu redor.

Os antidepressivos, como os inibidores seletivos de recaptação de serotonina (ISRS) ou inibidores da recaptação de serotonina e noradrenalina (IRSN), são frequentemente prescritos para ajudar a regular o humor e reduzir os sintomas da distimia. É importante seguir as orientações do médico quanto à dosagem e duração do tratamento.

É importante frisar que a combinação do tratamento é muito importante, pois as abordagens são complementares.

Além dos tratamentos psiquiátricos, atualmente a busca por alternativas é crescente, pois há muitas queixas sobre efeitos colaterais, risco de dependência e falta de eficácia no combate a alguns sintomas em relação a determinados medicamentos convencionais.

Os derivados de cannabis podem tratar a distimia?

Atualmente, a pesquisa sobre os derivados da cannabis e o combate de transtornos depressivos está em andamento, mas até o momento, as evidências são promissoras.

O nosso organismo é composto por um conjunto de receptores chamado sistema endocanabinoide. A interação entre esse sistema e as substâncias provenientes da cannabis é capaz de regular nosso humor, sono e outras funções, em um processo conhecido como homeostase.

Distimia e cannabis

Essa regulação pode oferecer benefícios extremamente vantajosos para quem enfrenta sintomas de depressão e outros transtornos que afetam o nosso humor, como estresse e ansiedadee. Por isso, é uma alternativa que vêm sendo considerada por psiquiatras e outros profissionais da saúde no tratamento da saúde mental.

Esperamos que apesar do estigma e preconceito que cerca a planta, as pesquisas científicas continuem se desenvolvendo, e um número cada vez mais abrangente de pacientes possam se beneficiar do potencial terapêutico da cannabis e encontrar alívio para os seus desconfortos.

Se você enfrenta sintomas com os citados no texto acima, e deseja iniciar seu tratamento com os derivados da cannabis, a Kaya Mind conta com uma equipe de profissionais especializada no tratamento com cannabis e pode te dar todo o suporte necessário durante esse processo.

Subscribe
Notify of
guest

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

0 Comentários
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários

Não perca nossos conteúdos!

Se inscrevendo em nossa newsletter você fica sabendo de todas as novidades que rolam por aqui e recebe nossos relatórios e promoções em primeira mão!


    0
    Nós adoraríamos saber sua opinião, deixe seu comentário!x