Como a cannabis afeta os sonhos?

Muitos usuários de cannabis relatam não lembrarem dos sonhos após o consumo e a ciência explica como que a planta pode afetar essa parte importante do inconsciente 

Como muitos usuários de cannabis suspeitavam, a planta realmente tem um impacto nos sonhos e os cientistas explicam que é por ter uma capacidade de reduzir o sono REM, sigla para Rapid Eye Movement (em tradução livre, movimento rápido dos olhos). O ciclo do sono tem quatro fases, sendo as mais longas o sono profundo e o REM, que dura normalmente cerca de 10 a 60 minutos e na qual ocorrem os sonhos mais vívidos. Esse período pode acontecer diversas vezes durante a noite, a depender do tempo dormido. 

O consumo de maconha, no entanto, pode diminuir ou até suprimir o tempo do sono REM, o que causa menos imaginação noturna e poucas lembranças do sonho no dia seguinte. Essa consequência, mesmo que muito normalizada, não é benéfica para a saúde, mas também não é impossível de ser revertida.  

 

Por que a cannabis faz sonhar menos?  

A cannabis não faz sonhar menos. Ela diminui ou suprime o sono REM, que é responsável pelos sonhos mais vívidos, mas os sonhos podem ocorrer em todas as fases do ciclo do sono. Como na fase REM há sonhos mais intensos, é normal que você não se lembre de ter sonhado no dia seguinte caso use maconha, mas isso não significa que você não sonhou. Os sonhos acontecem todas as noites para todo mundo, mas há fatores, como a cannabis, que os afetam. 

Um estudo de 2019 apontou o THC, elemento psicotrópico da cannabis, como um dos principais responsáveis por diminuir o sono REM. Mas não há elementos conclusivos sobre essa pesquisa. O que se sabe é que os fitocanabinoides, em geral, tem essa capacidade de afetar os sonhos.  

Os canabinoides, em geral, facilitam a entrada de sono, mas, dependendo da dose, podem dificultar e ter o efeito deletério no sono REM, onde temos sonhos mais vivos. Então, frequentemente, quem faz uso de um canabinoide, tem dificuldade de lembrar dos sonhos”, explica o neurocientista Sidarta Ribeiro, em entrevista à Kaya Mind. “Eles têm alterações de estrutura, que não foram bem mapeadas pela ciência, mas a gente sabe que estão lá. Isso é algo a se considerar na posologia e nos horários da administração dos medicamentos. Por outro lado, os canabinoides estão entre as substâncias que melhor emulam um estado onírico, sobretudo o THC.”  

Isso não significa que os pacientes que fazem uso de algum produto que contenha altas taxas de CBD e baixas de THC, por exemplo, não terá nenhuma parte de seus sonhos afetados. Porém, é possível acompanhar, por meio de relatos de usuários, em especial daqueles que fazem a utilização de doses mais altas, que esse é um efeito mais comum entre usuários que buscam o uso recreativo da planta. 

 

A importância dos sonhos 

Apesar de muitos usuários normalizarem esse fato e continuarem usando a cannabis para fins de relaxamento antes de dormir, os sonhos têm uma enorme importância para a saúde, principalmente aqueles que acontecem no sono REM.   

Os sonhos funcionam como uma terapia, pois são capazes de apagar ou reduzir os sentimentos dolorosos de episódios traumáticos ou emocionais que ocorreram durante o dia. Ainda, no sono REM, há uma diminuição drástica de noradrenalina, um dos elementos que desencadeiam a ansiedade. Isso significa, portanto, que esse período é essencial para a restauração da saúde mental. 

Além disso, os sonhos podem aprimorar a criatividade e a habilidade de resolução de problemas, bem como processar todo o conhecimento adquirido no período em que está acordado.  

De acordo com uma pesquisa realizada em 2016, a privação do sono REM, por mais de 72 horas, pode prejudicar a memória espacial, ou seja, é mais comum que você se perca nos lugares, tenha dificuldade de encontrar objetos específicos e até pode começar a esbarrar mais em móveis e outros itens que estiverem em seu caminho. Esses efeitos podem ser revertidos, mas o estudo concluiu que eles continuam por pelo menos 21 dias depois do sono REM ter sido restaurado.  

 

Como voltar a sonhar? 

maconha faz sonhar menosInterromper temporariamente o uso de cannabis é uma das formas a restaurar seu sono REM e, então, voltar a ter sonhos mais vívidos e não sofrer com as consequências dessa privação. Muitos usuários que fazem uma pausa do consumo de maconha experienciam o retorno dos sonhos mais intensos. 

No entanto, é comum vivenciar mais pesadelos durante a recuperação do sono REM até que a dívida acumulada seja paga. Há relatos, também, de sonhos mais anormais e bizarros. Por mais incomodo que seja sonhar com episódios desagradáveis ou perturbadores, é importante insistir e passar pela fase da restauração, para, então, voltar a fazer o consumo de forma mais moderada.  

 

Benefícios da cannabis para o sono 

Enquanto o consumo excessivo de maconha é, no geral, prejudicial para a fase REM, o uso mais moderado dos fitocanabinoides da planta pode ser benéfico para o sono. Afinal, há muitos estudos que trazem à tona os benefícios do uso medicinal da cannabis em relação à insônia, mesmo que ainda não sejam comprovados. Porém, isso está diretamente ligado à dosagem e a forma de consumo. 

Uma pesquisa de 2017 evidencia que a dosagem de fitocanabinoides pode influenciar os sonhos, principalmente em relação ao CBD. Os usuários afirmaram experienciar sonhos mais positivos e vívidos com o uso desse fitocanabinoide, e aqueles que consumiram doses elevadas tiveram um aumento do início do sono REM no dia da administração, ao mesmo tempo que as doses médias tiveram o efeito oposto no dia seguinte do consumo. 

Por outro lado, em alguns casos, a supressão do sono REM pode ser vantajosa, mesmo com as consequências citadas anteriormente. O CBD, por exemplo, é considerado um tratamento para pessoas com estresse pós-traumático e outros distúrbios comportamentais do sonho REM, que causam muitos pesadelos ou desempenhos vocais e agressivos durante o sono, exatamente para diminuir esse período do sono.  

Há elementos ainda não aprofundados da cannabis que podem influenciar no sono, como os terpenos e outros fitocanabinoides. O CBN, por exemplo, mesmo sendo menos conhecido, tem sido amplamente pesquisado por conta de seus potenciais de induzir o sono – os estudos apontam que ele é mais sedativo do que o THC e o CBD. 

Cadastre-se em nossa newsletter!

    Compartilhe essa informação!

    primeiro animal a ser tratado com cannabis

    Primeiro animal a ser tratado com cannabis

    O uso veterinário da cannabis tem se tornado uma pauta importante no meio canábico e na indústria pet, mas, na verdade, os animais de estimação já são tratados à base da planta há centenas de anos; conheça o histórico

    Leia Mais!
    carvão de cânhamo

    Carvão de Cânhamo

    Carvão de Cânhamo Além dos tecidos, dos biocombustíveis e dos leites vegetais, o cânhamo também pode ser utilizado para o desenvolvimento de um carvão vegetal

    Leia Mais!

    Contato

      Deixe um comentário

      O seu endereço de e-mail não será publicado.