Como se analisa dados do mercado da cannabis no Brasil?

Os dados são ferramentas essenciais para a consolidação de qualquer mercado e não seria diferente para o da cannabis; entenda como se realiza uma análise dessas informações em um território sem regulamentação

A análise de dados do mercado da cannabis tem sido colocada em prática ao redor do mundo, principalmente desde a regulamentação da planta em diversos países, mas ainda há muito a avançar. Afinal, o proibicionismo fez com que informações valiosas em torno da planta não fossem registradas e, portanto, se perdessem. Agora, empresas surgem com o objetivo de coletar esses dados e recuperar o que foi desperdiçado, servindo de base para o desenvolvimento da indústria e de incentivo para outras nações seguirem o caminho da legalização.

Mas, se há poucos dados sobre a cannabis, como que se coloca em prática sua análise? E no Brasil, onde não existe regulamentação abrangente acerca da planta, como é possível realizar a análise de dados sobre cannabis?

 

Métodos para analisar dados de cannabis no Brasil

Mesmo que haja poucas informações sobre o mercado da cannabis no mundo por conta do longo período de proibicionismo, a planta faz parte da história da humanidade há séculos e nem sempre foi enxergada com tanto preconceito como hoje, podendo ser cultivada e até consumida em diferentes culturas. Essa já é uma informação importante por si só e, a partir de registros históricos, é possível entender de forma mais profunda sobre como se davam os comércios em torno da maconha na época.

análise de dados sobre cannabisApós a proibição, a cannabis voltou a ser regulamentada em alguns países, como no Canadá, onde se legalizou o consumo medicinal da planta em 2001. Esse mercado que surgia passou a ser observado com mais atenção, tendo suas informações registradas e coletadas por especialistas, assim como acontece com qualquer nova indústria que se estabelece. Isso seguiu acontecendo com a regulamentação em outras regiões, o que fez com que novos dados fossem sendo criados e muitas nações se tornassem, inclusive, modelos para outras que desejavam também iniciar a legalização.

No Brasil, não há tantos dados para analisar, a não ser os históricos, os poucos coletados por instituições de renome e aqueles que foram construídos após a parcial regulamentação do uso medicinal da cannabis via Anvisa. No entanto, os mercados estrangeiros são uma grande oportunidade para o desenvolvimento de uma base de dados nacional, principalmente de países que têm uma regulamentação em torno da cannabis e se assemelham ao Brasil – os da América Latina, por exemplo.

Além de usar as indústrias internacionais como estudo para balizar as informações locais, é possível coletar dados por meio de órgãos governamentais via Lei de Acesso à Informação e, então, analisá-los com base em pesquisas científicas, comportamentos da sociedade e até outras indústrias que funcionam de forma similar à da cannabis (a da cerveja pode ser um exemplo quando se trata do uso adulto da planta). O Kaya Board, painel de informações da Kaya Mind, apresenta diversos dados estratégicos do mercado da cannabis obtidos via LAI ou outros métodos de forma gratuita. Acesse aqui.

No mais, há diversas outras formas de entender a realidade do mercado da cannabis no Brasil por meio dos dados, mas é extremamente importante que essa base se construa o quanto antes para que, no momento da regulamentação, o governo e a sociedade estejam preparados para abraçar essa indústria de forma adequada.

 

A importância dos dados

Os dados são essenciais para a consolidação de uma nova indústria, pois eles possibilitam o entendimento das tendências do mercado, o que é muito utilizado e buscado para tomadas de decisão em negócios, afinal, facilita o desenvolvimento dos produtos, refletindo em suas vendas e nos lucros. Sem essas informações estratégicas, as apostas dos empreendedores seriam quase que um tiro no escuro, causando insegurança e até menos interesse por parte desses players em desenvolver esse setor.

No caso da cannabis, em que a indústria está em seu início e há muito a descobrir, os dados são mais importantes ainda, porque é a partir deles que se corrige erros ou se compreende o melhor caminho para a construção desse mercado. Além disso, é possível descobrir novas oportunidades no setor canábico que, apesar de estar no começo, já tem áreas saturadas por empresas oferecerem produtos semelhantes para os mesmos segmentos do mercado.

Quem trabalha com cannabis, seja na venda de medicamentos, de acessórios para o consumo ou outros produtos, pode entrar em contato com a Kaya Mind para ter seu próprio painel de informações interno, no qual estarão reunidos dados estratégicos para auxiliar um melhor posicionamento de seu negócio.

Para entender mais detalhadamente como a cultura data driven é relevante para a indústria da cannabis, acesse aqui.  

 

O trabalho da Kaya Mind

A Kaya Mind é a primeira empresa da América Latina e do Brasil voltada a inteligência de mercado da cannabis e seus periféricos. A partir de uma metodologia própria e balizada por fontes oficiais, constrói uma base de dados estratégicos para a consolidação de negócios em torno dessa indústria que, apesar de pouco regulamentada no país, já gera interesse e uma expectativa de legalização no futuro por parte de empresários de diferentes setores.

As informações sobre o Brasil são essenciais para a compreensão da indústria global da cannabis, pois o país tem potencial de ser um dos maiores mercados do mundo. No relatório “Impacto Econômico da Cannabis”, a Kaya Mind estimou uma movimentação de mercado de R$ 26,1 bilhões em território nacional no quarto ano de regulamentação  de todos os usos da planta (medicinal, industrial e adulto).

Para oferecer mais informações sobre o mercado de cannabis no Brasil, a Kaya Mind criou o Kaya Board, um painel de dados estratégicos sobre diferentes setores relacionados a essa indústria, como de saúde, produtos medicinais, governo e muito mais. O acesso é gratuito.

Cadastre-se em nossa newsletter!

    Compartilhe essa informação!

    primeiro animal a ser tratado com cannabis

    Primeiro animal a ser tratado com cannabis

    O uso veterinário da cannabis tem se tornado uma pauta importante no meio canábico e na indústria pet, mas, na verdade, os animais de estimação já são tratados à base da planta há centenas de anos; conheça o histórico

    Leia Mais!
    carvão de cânhamo

    Carvão de Cânhamo

    Carvão de Cânhamo Além dos tecidos, dos biocombustíveis e dos leites vegetais, o cânhamo também pode ser utilizado para o desenvolvimento de um carvão vegetal

    Leia Mais!

    Contato

      Deixe um comentário

      O seu endereço de e-mail não será publicado.