Microdosagem de psilocibina: o que é e seus benefícios 

Escrito por

Escrito por

Lara Santos

Tempo de leitura: 3 min

Publicado em

A microdosagem de cogumelos psicodélicos tem sido estudada e colocada em prática para tratar diversas condições médicas e até comportamentos indesejados; entenda

A substâncias psicodélicas eram vistas de forma preconceituosa, mas, nos últimos anos, vêm ganhando cada vez mais destaque na sociedade e muito disso se deve ao fato de serem reconhecidas como terapias para diversas condições médicas, inclusive pelo próprio FDA (Administração de Alimentos e Medicamentos dos EUA). 

Um dos psicodélicos mais mencionados é a psilocibina, composto proveniente de alguns tipos de cogumelos alucinógenos, e que tem sido usado para tratar condições médicas como depressão, ansiedade, anorexia, dependência química, traumas, transtorno obsessivo-compulsivo e mais. No entanto, existem alguns tipos de terapia realizadas com a substância, sendo as mais famosas a Psicoterapia Assistida com Psicodélicos (PAP) e a Microdosagem, a qual será mais detalhada a seguir. 

O que é microdosagem? 

microdosagem de psilocibina

A microdosagem é caracterizada pelo consumo regular de pequenas doses de substâncias psicodélicas para melhorar a qualidade de vida do paciente ou usuário. Diferente do uso recreativo ou da PAP, as microdoses não causam efeitos psicodélicos fortes, mas, sim, experiências mais sutis.  

No caso da microdosagem com cogumelos, a quantidade recomendada fica na faixa entre 0,2g e 0,5g, mas isso depende de seu peso, de suas necessidades terapêuticas, do tipo de cogumelo a ser consumido e mais. Eles podem ser consumidos secos ou em cápsulas. 

Existem diferentes protocolos a serem seguidos com a terapia da microdose, sendo alguns mais voltados para tratar condições médicas e outros direcionados para melhorar a função cerebral e até quebrar padrões comportamentais indesejados. Eles variam na frequência do consumo, no horário e na combinação de substâncias (psilocibina junto com vitaminas, por exemplo). O protocolo escolhido vai de acordo com a necessidade do paciente e da sugestão do profissional de saúde. 

Veja algumas das condições médicas que a microdose de psilocibina se propõe a tratar: 

  • Depressão; 
  • Enxaqueca; 
  • Transtorno obsessivo-compulsivo; 
  • Transtornos alimentares; 
  • TPM; 
  • Dependência química; 
  • Alergias; 
  • Queda de cabelo; 
  • Síndrome de Burnout; 
  • TDAH ou DDA (Transtorno do déficit de atenção com hiperatividade); e mais. 

Quais os efeitos e riscos da microdosagem? 

O tratamento à base de microdoses ainda não foi estudado amplamente pela comunidade científica – alguns estudiosos acreditam que nada mais é do que um efeito placebo, enquanto outros veem uma melhora significativa no quadro de pacientes que colocam essa terapia em prática, mas o fato é que ainda faltam evidências. De qualquer maneira, é importante entender os possíveis efeitos que podem surgir com o uso da microdose de psilocibina; eles são sub-alucinógenos, ou seja, muito leves, mas ainda assim podem existir alguns riscos.  

 Possíveis efeitos: 

  • Mais energia; 
  • Maior atenção e foco; 
  • Mais criatividade; 
  • Maior presença; 
  • Otimismo, humor positivo; 
  • Maior conexão emocional com pessoas; 
  • Pensamento mais claro;  
  • Mais produtividade e menos procrastinação. 

Por outro lado, os riscos também são alguns: 

  • Náuseas; 
  • Problemas no sono; 
  • Crise de pânico; 
  • Ansiedade; 
  • Psicose (principalmente quando há histórico de outros transtornos psicológicos na família). 

Por isso, é muito importante iniciar o tratamento de microdosagem junto a um profissional da saúde, que também tenha feito um check-up de seu histórico como paciente. Dessa forma, se evitam casos graves após o uso e também até os efeitos colaterais leves, que podem ser controlados por meio da frequência e quantidade de uso. 

É possível fazer tratamento com microdoses no Brasil? 

No Brasil, por enquanto não existem medicamentos à base de psilocibina que estejam legalmente registrados. A Anvisa ainda proíbe a manipulação dos derivados com essa substância, mas há pesquisas sendo realizadas por instituições autorizadas.  

Ainda assim, os cogumelos psicodélicos in natura não estão listados em nenhuma lei, portanto, é possível comprá-los e até consumi-los. Dessa forma, pode-se dizer que os brasileiros podem ter acesso à microdosagem, mas não necessariamente será um tratamento adequado, já que ainda não é permitido no país. A compra de cogumelos mágicos só pode ser realizada para fins de pesquisa e como amostra. 

Para saber mais sobre o assunto, ouça nossa entrevista com o Dr. César Camara sobre os efeitos da psilocibina.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

copa do mundo e cannabis
Lara Santos

Copa do Mundo e cannabis  

Em 2022, o evento acontece em um país com regras rígidas sobre o uso de cannabis. Entenda como as seleções favoritas se posicionam a respeito da planta e como os atletas poderiam se beneficiar se o uso de CBD fosse permitido

Leia mais

Não perca nossos conteúdos!

Se inscrevendo em nossa newsletter você fica sabendo de todas as novidades que rolam por aqui e recebe nossos relatórios e promoções em primeira mão!