5 atletas que são empreendedores no mercado da cannabis

Com a maior aceitação da cannabis no meio esportivo, atletas profissionais passaram a investir nesse mercado criando suas próprias marcas de produtos à base da planta; veja alguns deles

 

O mercado de cannabis e esportes vem crescendo ao longo dos anos, principalmente após a aprovação da Agência Mundial Antidoping (Wada), em 2018, em relação ao uso de CBD. Diversas marcas de uso medicinal da cannabis passaram a pensar em estratégias publicitárias voltadas aos atletas e eles mesmos entenderam essa indústria como oportunidade de negócio, além de utilizarem os benefícios desses produtos para melhorar a performance em suas modalidades., portanto a relação entre atletas e cannabis vêm se solidificando cada vez mais.

O uso de CBD e até outros fitocanabinoides da cannabis são uma forma de atenuar as consequências dos esportes, como as lesões, a insônia e a ansiedade. Esse tipo de medicamento é considerado hoje como um substituto aos opioides frequentemente consumidos pelos atletas profissionais, amadores e até eventuais, que lidam com diversas dores devido ao esforço físico e, em alguns casos, pressão excessiva. No relatório Cannabis e Esportes, lançado em dezembro de 2021, isso é explicado com detalhes. 

Abaixo, veja os atletas que iniciaram um negócio nesse mercado e como se posicionam em relação à cannabis.


  • Floyd Landis

O ex-ciclista profissional Floyd Landis, dos Estados Unidos, participou de competições profissionais desde 2005 até ser suspenso por ser pego nos testes antidoping, quando recorreu aos opioides para tratar lesões e depressão. Mesmo voltando a competir profissionalmente, ele não conseguiu se recuperar do tempo que ficou distante do esporte. Como ex-atleta, então, viu no CBD uma oportunidade para melhorar suas questões de saúde física e psicológica, além de ajudar outros colegas do meio a não passarem pelo que passou. Assim, criou a Floyd’s of Leadville, marca que oferece produtos à base do fitocanabinoide para atletas e não-atletas também. 


  • Bob Burnquist

O multimedalhista do skate Bob Burnquist já se lesionou diversas vezes por conta das quedas no esporte, além de lidar com a pressão dos campeonatos frequentemente. Viu na maconha, portanto, uma forma de atenuar esses sintomas, sem utilizar dos medicamentos tradicionais altamente viciantes e maléficos ao corpo. O atleta não só se posiciona a respeito da pauta canábica, como também criou a Farmaleaf, nos Estados Unidos, em conjunto com o chef de cozinha Alex Atala, pela qual vende produtos à base de cannabis e outras plantas medicinais para tratar diversas condições médicas. Em entrevista à Kaya Mind, ele falou melhor sobre sua relação com a cannabis. 


  • Mike Tyson

O ex-lutador de boxe, Mike Tyson, já admitiu ter participado e, inclusive, vencido competições da luta em que tinha feito uso adulto de maconha. É um dos atletas que mais se posicionam a respeito da planta, além de ter criado uma marca voltada à produtos de cannabis para uso medicinal e adulto que o tirou da falência, chamada Tyson Holistic, sediada na Califórnia, nos Estados Unidos. 


  • Fernando Paternostro

Triatleta amador de atletismo, Fernando Paternostro também é empresário e fundador da Atleta Cannabis, uma comunidade voltada para pessoas que praticam esporte e desejam buscar qualidade de vida a partir do uso medicinal da cannabis. Além de conteúdo, a empresa oferece assessoria esportiva, organiza encontros sobre cannabis e esporte e já começou a desenvolver um estudo clínico a respeito do tema. Há, também, a oportunidade de iniciar um tratamento com derivados da planta por meio da plataforma online MyGrazz, parte da Atleta Cannabis, e que foi patrocinadora do 4º relatório da Kaya Mind “Cannabis e Esportes“. 


  • Megan Rapinoe

Megan Rapinoe, jogadora de futebol já considerada melhor do mundo em 2019 pela FIFA, e sua irmã gêmea fundaram a Mendi, uma start-up de produtos à base de CBD. Ambas criaram a empresa para melhorar a vida de atletas a partir de tratamentos com ingredientes provenientes da natureza, dos quais Megan faz uso em sua rotina para ganhar energia, foco, atenuar dores e modular seu sono. Os derivados da marca disponíveis vão de gummies a tinturas.  

Cadastre-se em nossa newsletter!

    Compartilhe essa informação!

    primeiro animal a ser tratado com cannabis

    Primeiro animal a ser tratado com cannabis

    O uso veterinário da cannabis tem se tornado uma pauta importante no meio canábico e na indústria pet, mas, na verdade, os animais de estimação já são tratados à base da planta há centenas de anos; conheça o histórico

    Leia Mais!

    Contato

      Deixe um comentário

      O seu endereço de e-mail não será publicado.